sábado, 18 de fevereiro de 2012

Verão pede cuidados extras contra a candidíase

O intenso calor do verão favorece o aparecimento da candidíase, uma infecção ginecológica que causa corrimento e coceira vaginal, entre outros sintomas. Ficar com o biquíni molhado por muito tempo e usar calças apertadas são alguns dos fatores que contribuem para desenvolvimento dessa doença.


Para entender um pouco mais sobre essa infecção, entrevistamos a ginecologista Rosa Maria Neme, que respondeu a várias questões sobre a candidíase. Confira!

1. Qual a principal infecção ginecológica de verão e por que ela aparece nessa época? 
A principal infecção ginecológica do verão é a candidíase.
Candidíase Vaginal
Também conhecida como monilíase vaginal. A cândida é um fungo geralmente presente no trato gastrointestinal e região perianal. Ele cresce bem no meio ácido da vagina, podendo colonizá-la. O controle do seu crescimento depende da presença de outros micro-organismos na flora vaginal normal. Muitas vezes ele aparece quando ocorre um desequilíbrio entre os integrantes da flora vaginal normal. A resistência do organismo cai pelo uso de antibióticos de amplo espectro, gravidez, diabetes, infecções, doenças que causam deficiência imunológica como AIDS, ingestão excessiva de carboidratos ou o uso de alguns medicamentos, como anticoncepcionais orais e corticóides.
A candidíase não é considerada uma doença sexualmente transmissível (DST), entretanto o parceiro sexual pode apresentar sintomas como coceira ou irritação no pênis. Os sintomas mais freqüentes nas mulheres são o corrimento espesso tipo nata de leite, geralmente acompanhado de coceira e irritação intensa da vagina e vulva que podem piorar na época da menstruação e com a relação sexual.
O exame clínico e a realização de exame direto da secreção vaginal em solução salina ou usando hidróxido de potássio a 10% evidencia a presença do fungo.
O tratamento inclui o uso de antifúngicos em óvulos ou cremes vaginais ou por via oral.
A prevenção salienta a correta higiene e o uso de roupas íntimas de algodão, evitando calor e umidade na área genital.

2. Quais os sintomas dessa infecção?
O sintoma mais importante é um corrimento esbranquiçado com grumos, acompanhado de ardor ou coceira na vagina. 

3. A candidíase atinge mais adolescentes ou mulheres adultas? 
Atinge ambas as faixas etárias. 

4. Essa infecção é contagiosa? 
Se a mulher tiver relação sexual sem o uso de preservativo, o homem pode se contaminar com o fungo. Mas, na grande maioria das vezes, o homem não apresenta nenhum sintoma. 

5. Quais as formas de tratamento? 
O tratamento é feito com antifúngicos por via oral, associado a um antifúngico na forma de creme vaginal, mediante orientação médica.

6. O que acontece se a mulher não realizar o tratamento? 
Os sintomas tendem a se tornar insuportáveis, com ardor intenso, coceira vaginal e inflamação da vulva. Isso impede as atividades diárias e relações sexuais.

7. Como prevenir o aparecimento dessa infecção? 
Para prevenir o aparecimento da candidíase, algumas medidas devem ser adotadas: 
- Evitar manter o biquíni molhado no corpo por muito tempo; 
- Dormir sempre sem calcinha; 
- Evitar o uso de absorventes diários (protetores de calcinha); 
- Evitar o uso de calças muito apertadas que favoreçam o aumento do calor local vaginal; 
- Estimular a imunidade do corpo, praticando exercícios físicos, aliviando o estresse, dormindo bem e mantendo uma alimentação saudável.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Deixe seu comentário.