sábado, 6 de agosto de 2011

Rouquidão

Olá pessoal ! Depois de tantos dias sem voz ( lembram ? ) resolvi postar no blog como perdemos a voz.
Leiam a entrevista. Está bem interessante.

Confira a entrevista sobre rouquidão com a Fga. Ana Elisa de B. e N. Baptista (CRFa. 15483), formada pelo Centro Universitário São Camilo/2005, especialista  em Linguagem pelo Núcleo de Formação em Clínica de Linguagem, mestranda em Lingüística Aplicada pela PUC-SP (fganaelisa@gmail.com, twitter: @fonoanaelisa).
Criasaude: O que vem a ser a rouquidão?
Fga. Ana Elisa: A rouquidão (disfonia) é um quadro vocal que tem como causa diversos fatores, que variam desde abuso vocal (uso prolongado da voz, gritos etc) até patologias envolvendo questões hormonais e até mesmo câncer. Quando rouca (disfônica) a pessoa percebe sua voz mais grave (grossa), às vezes áspera, ou em alguns casos mais fraca, chegando até a “ficar sem voz”, quando não consegue produzir nenhum som (afonia).
Criasaude: Quais são as principais causas da rouquidão que podem ser evitadas?
Fga. Ana Elisa: As principais causas que podem ser evitadas são: fumo, gritar, usar a voz profissionalmente (cantar, lecionar, pregar, entre outros) sem preparo, uso de pastilhas e sprays para “aquecer” a voz, alergias respiratórias, entre outros.
Criasaude: Algumas pessoas apresentam rouquidão após irem eventos como: festas, shows, jogos de futebol, vôlei, entre outros. Isto é motivo de preocupação? A partir de quando uma pessoa deve procurar um especialista por causa da rouquidão?
Fga. Ana Elisa: A pessoa deve ser preocupar se isso ocorre com frequência, pois pode ser um sinal de que está maltratando sua voz e que está ficando mais suscetível a problemas no futuro. Qualquer rouquidão (disfonia) que persistir por 1 semana é sinal de preocupação. Aconselha-se procurar um médico otorrinolaringologista sempre que qualquer incômodo vocal persistir por esse período e, quando necessário o médico irá encaminhar para avaliação fonoaudiológica.
Criasaude: Dizem que profissionais que utilizam muito a voz (professores, cantores, atores, apresentadores, radialistas, entre outros) possuem uma tendência maior de ficarem roucos e por isso os cuidados com a voz devem ser redobrados, isto é verdade? Quais são suas dicas para estes profissionais?
Fga. Ana Elisa: Sim, esses profissionais estão mais suscetíveis a desenvolverem problemas vocais, porém somente se não utilizarem de modo adequado à voz. Algumas dicas são: Não pigarrear ou tossir (engolir saliva ou tomar água nesses momentos); evitar bebidas alcoólicas; evitar pastilhas e sprays; beber bastante água; fazer gargarejos com água morna e sal antes de deitar; manter postura do corpo ereta, porém relaxada; não usar roupas apertadas, principalmente na região do pescoço e cintura; realizar aquecimento e desaquecimento vocal antes do uso profissional e/ou prolongado da voz; evitar falar em ambientes ruidosos; evitar o fumo; mastigar bem os alimentos; evitar alimentos achocolatados e derivados de leite (principalmente nos momentos que antecedem o uso da voz); evitar gritar ou falar por muito tempo; tomar cuidado com mudanças de temperatura e bebidas geladas.
Criasaude: Qual é o papel do fonoaudiólogo na rouquidão?
Fga. Ana Elisa: O diagnóstico de rouquidão (disfonia) é feito pelo fonoaudiólogo em conjunto com o médico otorrinolaringologista. Quanto ao tratamento, o fonoaudiólogo também atua em conjunto com o otorrinolaringologista, sendo que nos casos onde há a demanda de intervenção cirúrgica, realiza terapia pré e pós-cirurgia, a fim de proporcionar uma reeducação vocal ao paciente e melhorar o resultado da intervenção feita pelo médico. Nos casos onde não há a indicação cirúrgica, o fonoaudiólogo realiza o tratamento não só reeducando o comportamento vocal do paciente, mas também realizando exercícios específicos para o tipo de rouquidão (disfonia), a fim de eliminar e/ou adequar o quadro.
Criasaude: O que vem a ser reeducação vocal?
Fga. Ana Elisa: Reeducação vocal nada mais é do que criar no paciente uma consciência sobre o uso correto da voz e os cuidados que devem ser tomados com ela. Na verdade, é algo que deveria ser feito com a população de um modo geral, a fim de prevenir casos de rouquidão (disfonia), principalmente a população que usa a voz como instrumento de trabalho (professores, cantores, pastores, entre outros).

Higiene Vocal
 
Beba água, regularmente, em temperatura ambiente, em pequenos goles. A água hidrata as pregas vocais;
Mantenha uma alimentação saudável e regular. Evite achocolatados e derivados do leite, principalmente quando for utilizar a voz como instrumento de trabalho, pois estes aumentam a secreção do trato vocal;
Evite café, bebidas gasosas e cigarro. Eles irritam a laringe. Além disso, o cigarro aumenta consideravelmente a chance de câncer de laringe e pulmão;
Coma uma maçã – ela é adstringente, ou seja, limpa o trato vocal e sua mastigação exercita a musculatura responsável pela articulação das palavras.
Na hora de acordar e levantar da cama espreguice e faça alongamentos para relaxar;
Durante o banho, deixe a água quente cair nos ombros, fazendo movimentos de rotação com a cabeça e ombros. Isso ajuda a diminuir a tensão do dia-a-dia;
Enquanto estiver falando, mantenha a postura do corpo sempre reta, no eixo, porém relaxada, principalmente a cabeça;
Utilize alguns horários do seu dia para descansar e relaxar, tentando poupar a sua voz;
Quando você estiver com uma rouquidão por mais de 15 dias, procure um otorrinolaringologista e/ou um profissional em fonoaudilogia.
Hábitos Prejudiciais
 
Evite gritar ou falar com muita intensidade: sempre que possível procure se aproximar da pessoa para conversar. Quando estiver escutando música ou assistindo TV, abaixe o volume, evite competição sonora;
Pigarrear – essa ação provoca um forte atrito nas pregas vocais, irritando-as;
Ingerir líquidos em temperaturas extremas, ou seja, muito gelado ou muito quente;
O fumo é altamente nocivo, pois a fumaça quente agride o sistema respiratório e principalmente as pregas vocais, podendo causar desde irritação, pigarro, edema, infecção. É considerado um dos principais fatores desencadeantes do câncer de laringe.;
O consumo de álcool em excesso também é prejudicial para as pregas vocais e tem efeito analgésico propiciando abusos vocais.;
Chupar balas ou pastilhas fortes quando estiver com a garganta irritada. Isso mascara o sintoma e a pessoa tende a forçar a voz sem perceber. Quando o efeito da bala passa, a irritação na garganta aumenta.
Ar condicionado – prejudica a mucosa das pregas vocais, pois o resfriamento é realizado através da redução da umidade do ar com conseqüente ressecamento do trato vocal, o que leva a pessoa a produzir a voz com maior esforço e tensão.
Evite a fala durante os exercícios físicos: qualquer exercício de esforço muscular junto com a fala irá provocar sobrecarga na musculatura da laringe;
Evite cantar de maneira inadequada ou abusiva em videokês ou fazer parte de corais sem preparo vocal.
Evite pastilhas refrescantes antes de cantar/falar. Estas geralmente têm efeito “anestésico” e você pode cometer abuso vocal sem se dar conta;
Evite falar em demasia em quadros gripais ou em crises alérgicas, pois o tecido que reveste a laringe está inchado e o atrito das pregas vocais durante a fala passa a ser de forte agressão.
Evite falar muito após o consumo de grandes quantidades de aspirinas, calmantes e diuréticos: a aspirina provoca o aumento da circulação sangüínea na periferia das pregas vocais, com a associação do atrito de uma prega contra a outra há um aumento da fragilidade capilar. Os diuréticos e calmantes ressecam as mucosas;
Ingerir líquidos em temperaturas extremas, ou seja, muito gelado ou muito quente; alimentos e bebidas geladas também causam choque térmico, provocando muco e edema nas pregas vocais;
Evite usar roupas apertadas na altura do pescoço e na cintura, pois irá dificultar a livre movimentação da laringe e também a movimentação do diafragma;
Evite alimentos pesados e muito condimentados, pois além de provocar azia, má digestão e refluxo de secreções gástricas, dificulta também a movimentação livre do músculo diafragma, essencial para a respiração;
Ar condicionado – prejudica a mucosa das pregas vocais, pois o resfriamento é realizado através da redução da umidade do ar com conseqüente ressecamento do trato vocal, o que leva a pessoa a produzir a voz com maior esforço e tensão;
A prevenção vocal só depende da conscientização de cada pessoa, pois voz é um sinal de saúde e devemos tratá-la adequadamente.

*Texto elaborado pela Fonoaudióloga Ângela Guimarães Coelho (CRFa-RS 6243)






Nenhum comentário:

Postar um comentário

Deixe seu comentário.