sábado, 8 de janeiro de 2011

Dragão de Komodo (Varanus komodoensis)

Como alguns outros membros da família dos lagartos gigantes, o dragão de Komodo existe há centenas de séculos. Já vivia na terra muito antes do aparecimento do homem, tem aproximadamente 3,5 metros com 100 kg e com uma cor cinzenta e marrom com a língua bifurcadada ,enquanto o dragão mitológico cospe fogo, o komodo produz, no interior de sua bocarra, escorre uma baba (saliva) cheia de bactérias mortíferas, comoStaphylococcus sp, Providencia sp, Proteus sp e Pseudomonas sp, que a transformam num "caldo bacteriano" muito venenoso, por isso depois de morder, tudo o que o dragão tem a fazer é esperar seu "veneno" fazer efeito, as bactérias da saliva do réptil causam uma grande infecção que mata o animal após alguns dias.

Este animal pode comer veados, macacos, cabras e porcos selvagens, além de comer carniça, sendo capaz de dar conta de uma carcaça inteira de búfalo, grande parte dos mamíferos fazem trilhas para ir até seu alimento ou para suas "casas", e os dragões de Komodo são os únicos répteis que "perceberam" esse comportamento dos mamíferos e utilizam tal conhecimento para pegar suas presas, esperando pacientemente à beira das trilhas feitas pelos veados para caçá-los. Quando o cervídeo (o veado) está a pelo menos um metro de distância, o dragão de Komodo dá o bote com impressionante rapidez.


Os dragões de Komodo têm hábito diurnos, oportunistas, aproveitam-se das presas uns dos outros e, por isso, são encontrados em grupos que se alimentam da mesma carcaça. Também podem ser observados aos pares durante a época do acasalamento. Fora dessas ocasiões, são animais solitários, no fim da estação das chuvas, a fêmea põe cerca de 25 ovos na areia. Os ovos se abrem depois de 6 a 8 semanas.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Deixe seu comentário.