segunda-feira, 26 de julho de 2010

Cutaneum cornu: Chifre humano


Por mais assustador que possa parecer, esses chifres são lesões pouco comuns formadas com um material queratinoso, ou seja, o mesmo material presente na nossa unha e cabelos e é semelhante ao chifre dos animais. Estes chifres surgem a partir de repetidas lesões epidérmicas, que podem ser benignas, pré-malignas ou malignas. Os chifres são geralmente, resultado de exposição prolongada ao sol, e por causa disso surgem nas partes que mais recebem diretamente a luz do sol como: couro cabeludo, mãos, orelhas, testa, Pálpebras, lábios e etc.
Na maioria das vezes (60%), os chifres são benignos, mas podem abrigar células cancerosas e por isso é bom que o acompanhamento médico seja constante. Mas pensando bem, não consigo imaginar alguém que não procure um médico depois de perceber que tem um chifre surgindo na cabeça. Mas acredite a maioria das pessoas que desenvolvem o chifre, recuam do processo cirúrgico após descobrirem que não se trata de um artefato maligno e sim algo feito com o mesmo material de unha e cabelos.. tem louco pra tudo.
Os chifres humanos são compostos por uma queratina compactada e geralmente muitas lesões são encontradas na sua base. Embora sejam grosseiramente semelhantes a chifres de animais são histologicamente bem diferentes. Os animais podem possuir cornos que são projeções compostas de epiderme superficial super-queratinosa, depois uma derme e então o osso posicionado no centro. No caso dos chifres humanos, não existe formação óssea, todo o chifre é uma massa de queratina endurecida sem ligação com o crânio. Por não estar ligado ao crânio, um recurso cirúrgico é suficiente para sua retirada!





Fonte: Diario de Biologia

Um comentário:

Deixe seu comentário.