segunda-feira, 31 de maio de 2010

Fumar: 10 mitos sobre o assunto para você parar de vez

A pneumologista Camille Rodrigues da Silva desvenda alguns dizeres populares sobre o cigarro e mostra que dá sim para sair dessa.
1. Quando o fumante decide abandonar o cigarro é porque não tem mais prazer em fumar?
Mito: a maioria dos fumantes quando decidem interromper o tabagismo gostam de fumar, mas decidem que esta é a melhor decisão para a sua saúde e sua vida.
 
2. Se o meu check up anual não mostrou nenhuma doença é sinal de que posso continuar fumando?
Mito: o fato do exame não detectar nada não significa que não haja doença em desenvolvimento, e sim que os exames ainda não foram capazes de detectá-la. Muitas doenças não dão sinais de evolução e se manifestam de forma abrupta, como um infarto.

3. Parar de fumar é uma questão somente de força de vontade?
Mito: Motivação e mudança de hábitos relacionados ao cigarro são fundamentais para atingir o sucesso na luta contra o tabagismo, no entanto, algumas pessoas com maior dependência física ou mesmo psicológica ao cigarro necessitam auxilio medicamentoso.

4. Após parar de fumar todos os meus problemas de saúde e disposição física serão como eram aos meus 18 anos de idade?
Mito: A interrupção do tabagismo sem dúvida ajuda a diminuir o risco de aparecimento de várias doenças e melhora de sintomas habituais, mas certamente não exclui o cuidado com a própria saúde e uma rotina diária com atividades físicas.

 5. Fumar de dois a quarto cigarros ao dia não faz mal a ninguém?
Mito: este já caiu por terra! Alguns estudos científicos já mostraram que há diferença na manifestação de doenças entre nunca fumantes e pessoas que consomem cigarros em pequena quantidade (até 3 a 4 cigarros/dia). Fumar pouco ou conviver em ambiente com fumantes é prejudicial à saúde, sim.

6. Algumas pessoas não têm dificuldades em deixar de fumar, mas depois de alguns meses voltam a consumir cigarros?
Mito: a interrupção do tabagismo é um processo a longo prazo, envolve uma fase inicial mais difícil com duração de 2 a 3 meses, e a seguir a fase manutenção da condição de não fumante, que dura a vida toda. Se o fumante não tem grande dificuldade na fase inicial e sim na manutenção, significa que o ponto de atenção deve ser na manutenção sem fumar.

7. Parar de fumar em idade avançada não traz benefícios?
Mito: parar de fumar sempre traz benefícios, em qualquer idade e mesmo que haja a manifestação de uma doença grave. A interrupção do tabagismo melhora os sintomas em geral, melhora a disposição física, melhora o paladar e a cicatrização.

8. Parar de fumar é igual para todo mundo?
Mitos: pessoas com maior dependência física ou psicológica a nicotina apresentarão maior dificuldade em parar de fumar, embora o principal fator de sucesso seja, sem dúvida, motivação pessoal.

9. O mais importante ao parar de fumar é a utilização de medicamentos de auxílio?
Mito: a maioria dos fumantes não precisa de medicação para deixar de fumar, a medicação pode auxiliar, mas não resolve o mais importante – que é a motivação pessoal e a mudança de hábitos.

10. Pessoas que já utilizaram medicação e não conseguiram parar de fumar tem maior dificuldade?
Mito: embora existam ótimas medicações isentas de prescrição para auxiliar o fumante a interromper o tabagismo, a eficácia destas medicações é muito menor sem algumas informações básicas sobre o processo de parar de fumar, sem a orientação de um profissional de saúde ou uso errado dos medicamentos. 

Fonte: Camille Rodrigues da Silva é pneumologista, sócia da Avir Saúde Educação e Tratamento do Tabagismo, em São Paulo, além de autora do livro “Apague o Cigarro de Sua Vida”.






Nenhum comentário:

Postar um comentário

Deixe seu comentário.