domingo, 7 de fevereiro de 2010

Por que a barriga ronca quando temos fome ?

 
A hora do almoço nem chegou e parece que tem um monstro na sua barriga. Como ela ronca! O bater das panelas na cozinha e o cheirinho de comida que toma conta da casa só aumenta a sua fome e, como conseqüência, as reclamações do seu estômago. Mas por que será que a barriga faz barulho quando você está com fome?

Tudo começa, acredite, com a visão e o olfato. Quando vemos a comida ou sentimos o seu cheiro, nosso sistema nervoso central é acionado e uma mensagem sai do cérebro rumo ao tubo digestivo dizendo: aí vem comida!

Mensagem devidamente enviada, os órgãos começam a se preparar para receber os alimentos. Nossa boca se enche de água, ou melhor, de saliva, que tem muitas funções. Entre elas, a de reunir e lubrificar os alimentos triturados para poderem ser engolidos e seguirem para o estômago. Esse, por sua vez, produz ácidos e também enzimas – um tipo de proteína –, iniciando a digestão. Estômago e intestino delgado fazem também um movimento chamado peristáltico, que irá conduzir a comida rumo ao intestino grosso.

O estômago e o intestino delgado começam a se contrair e relaxar várias vezes e, ao se moverem dessa maneira, “sacodem” gases e líquidos contidos em seu interior fazendo barulho: é o ronco da barriga. Dentro de limites, quanto maior for a nossa fome e quanto mais apetitoso for um determinado quitute, mais movimento fará o tubo digestivo e mais alto será o ronco da nossa barriga.

Saiba, porém, que sempre é possível ouvir o barulho feito pela barriga. Isso porque ele é constante no dia-a-dia das pessoas. Se você encostar seu ouvido ou um estetoscópio na barriga de alguém, com certeza irá ouvir o burburinho produzido pelos movimentos do tubo digestivo.

Agora que você já sabe como trabalha o organismo para receber os alimentos, não dê alarmes falsos para o seu corpo. Afinal, quando vemos comida ou sentimos seu cheirinho, o nosso organismo começa a se preparar para a chegada de alimento. O estômago secreta ácidos e, se eles não forem utilizados na digestão dos alimentos que deveriam chegar, podem produzir, em longo prazo, irritações e até lesões no tubo digestivo, como gastrites e úlceras. Então, não fuja das refeições: coma com gosto e moderação alimentos saudáveis. Bom apetite!


Departamento de Anatomia,
Universidade Federal do Rio de Janeiro.

Um comentário:

Deixe seu comentário.